Angela-Lago Angela-Lago

Catálogo
Sete Histórias Para Sacudir o Esqueleto

Sete Histórias Para Sacudir o Esqueleto

ISBN: 9788574061269

Sete é conta de mentiroso... O número não deve ter escapado a Angela-Lago ao selecionar as lorotas - das boas - reunidas neste livro. São casos de assombração (e de esperteza) colhidos na melhor tradição brasileira, narrados numa linguagem que recria o jeito e o ritmo mineiro de contar.


  • Hors-Concours na categoria O Melhor Para Criança e Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (autoria e ilustração), em 2002.
Banguelinha, A

Banguelinha, A

ISBN: 851603092X

A história é um conto de fada urbano em que, escapando às convenções, e aos síndicos, alguns humanos, anjos e animais vencem, como podem, a solidão.


  • Prêmio Altamente Recomendável 2002, Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, pela autoria e ilustração
Prato Azul-Pombinho, O

Prato Azul-Pombinho, O

ISBN: 8526007343
2002 - Global

Versos... não... Poesia... não... Um modo diferente de contar velhas histórias. Assim, Cora Coralina, pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Brêtas, escreveu sobre sua produção literária. Aos 75 anos, publicou seu primeiro livro Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais. Nele foi editado o poema "O Prato Azul-Pombinho", escrito com rara sensibilidade. Nessa nova edição, as ilustrações de Angela-Lago traduzem o clima do contar e recontar histórias.

Nasrudin

Nasrudin

ISBN: 9788574060897

Originário do folclore da Turquia, o personagem Nasrudin é um mulá (que em árabe significa 'mestre'). É um herói curioso - parece ingênuo de tudo, mas é mais esperto do que todos nós. Alguns de seus contos são dignos de um verdadeiro sábio oriental, com enigmas lógicos e soluções mirabolantes.


  • Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil - FNLIJ 2001, categoria reconto
Árvore que Pensava, A

Árvore que Pensava, A

ISBN: 8520910483

Era uma vez uma árvore que pensava e um belo dia foi transportada para uma praça, em pleno centro urbano, onde passou a tentar compreender as contradições humanas. Belas ilustrações para uma metáfora da destruição ambiental imposta pela lógica do crescimento desordenado das cidades.

O livro fala sobre a inútil tentativa de satisfazer o desejo do outro.